Madrid la cita que no duerme y que no deja dormir

Agosto 16, 2009

palacio real madrid jardim

Madrid! Definitivamente um sitio para lá voltar, uma grande aventura e loucura. Achei a cidade engraçada para se passar uns 2 ou 3 dias, uma das cidades mais vivas que já encontrei. Alguns estabelecimentos abrem mais tarde, mas alguns, nem fiquei a perceber se fecham ou não(Nunca tinha visto restaurantes, lojas,… abertas as 3 da matina :D).

Em relação a viagem em si, foi das experiências mais doidas que já tive, quase impossível de descrever por palavras(talvez um dia a escreverei num livro :P). Gastei mais que estava a espera :S , o começo e fim não correu nada como esperava, por causa de “tosquices” minhas(tenho de começar a planear +- as viagens, não é perder 30 minutos a ver umas cenas por alto). Basicamente, logo a chegada começo perdido numa ponta de Madrid as tantas, a meio fecha o metro, em seguida passado umas horas, farto de andar a pé e de andar a olhar para uma espécie de mapa numa folha A4(para a próxima levar umas folhas, com o mapa completo do centro da cidade com o nome das ruas, não é só levar uma amostra de mapa) e de pedir indicações em tudo que é língua, até por gestos, chego a um hostel(Cat’s Hostel Madrid) na outra ponta da cidade, e que belo hostel😀, as 4 da matina metade do pessoal acordado a beberem vinho marado(estes Espanhões, Británicos,…, vinho rasco para eles é como fosse do melhor, deve ter sido dos piores vinhos que já provei :S, mas o que interessava era o espírito), a porta do hostel.
Depois de dormir umas 4 horas, lá vou eu tomar o pequeno almoço(só vos digo que aquela sala/bar parecia o paraíso, é o que faz os “gajos” ficarem a enfrascarem-se até as tantas e depois ficarem a dormir:P). Nesse pequeno almoço, resumidamente arranjo casa para os próximos dias, e tudo começa por causa da bela língua Portuguesa,… Junta-se numa mesa um Tuga(eu), uma Sueca(Ella), uma Francesa(“Stef”), palavra puxa palavra, e basicamente está tudo na mesma e para o mesmo(pouco dinheiro, curtir Madrid, beber umas,…) e lá ficamos todos na casa de uma amiga da Francesa, uma Espanhola(Manuela) que só chegava de tarde de Toledo. Enquanto a Espanhola não chega a Madrid, lá vamos a pé e de metro(e meterem ar condicionado em todo o metro, não!!! e explicarem o sistema dos bilhetes turísticos na compra, também não!!!) visitar a cidade. Chega-se ao fim da tarde, lá nos reunimos todos na dita casa(T1), compras, lá me armo em cozinheiro, a pensar: “ai e tal vou fazer uns bifinhos com cogumelos que este pessoal se calhar nunca comeu”, resumindo só a Sueca nunca tinha comido, lol. Ainda pensei em fazer um arroz doce, mas não me meti em aventuras, é que da última vez ficou uma bela merd… Introduzo-lhes o belo vinho do Porto, baratucho, mas numa bela garrafa que parecia dos caros. Lá fica o pessoal todo encantado  com o belo néctar(só imagino se fosse do bom). Mais tarde lá saímos para famosa noite Madrilena, beber uma jolas e comer umas tapas, quando me metem um “balde” de cerveja Estrella de Galicia, quase que fico sem palavras: “1 litro de cerveja num copo, fdx, o que virá a seguir, 1 pipo”.
Resumindo a noite Madrilena: do “best”, montes de pessoas em grande parte da cidade, muita música ao vivo(sevilhanas, simples: 2 gajos 2 guitarras e um amplificador, até salsa vi nas ruas), comida, barulho,…
Voltamos para casa, uma para ir dormir outros para acabar com o vinho do Porto e trocar-mos mais cultura até quase ao amanhecer,…
No dia seguinte depois de dormir no máximo umas 2 horas, lá fui “obrigado” a me levantar para ir fazer o que mais adoro, ou não, andar as compras, em plena época de “rebaixados”, pelo menos foi em Madrid😛. Lá se visitou mais a “terriola”,…, chegou-se a hora das despedidas, uns vão para Toledo, outros Barcelona, e o “je” para o nosso calhou a beira mar plantado, pelo menos é o que pensava eu.
Lá chego ao aeroporto as 2 da matina  encosto-me num canto, e o que acontece, simplesmente apago-me por completo. Quando acordo lá tinha eu perdido o voo,…. Com uns trocos na conta e no bolso, lá atravesso metade de cidade para apanhar um autocarro para Lisboa, autocarro esse que parou em umas quantas cidade de Espanha.

Chego a nosso Portugal com uma toalha a menos e com uns trocos no bolso. Tive pena foi de não ter comido mais comidas típicas de Espanha, mas quem não tem dinheiro não tem vícios.

Cada vez mais que meto a mochila ás costas e lá vou eu por essa Europa fora, sozinho ou acompanhado, fico mais convencido que o “Portuga” é uma raça/personagem especial e diferentes dos outros.

Fica aqui um pequeno resumo da viagem.

Acabou-se essa mas já não falta muito para  a próxima:D.

Ella

Uma resposta to “Madrid la cita que no duerme y que no deja dormir”

  1. markit0pqn Says:

    Temos que fazer mais uma viagem!!! Voto para Bratislava e dps Vienna!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: